domingo, 18 de fevereiro de 2018

Literatura

"A Bola e o Verbo - o Futebol na Crônica Brasileira"

O autor, Rodrigo Viana entrelaça três temas bastante caros aos brasileiros: literatura, futebol e jornalismo. Analisando crônicas de mestres como Mário de Andrade, Lima Barreto, José Roberto Torero e João Saldanha, o autor mostra como a crônica de futebol se instalou na imprensa brasileira e os desdobramentos desse movimento para nossa literatura e para o jornalismo. Com prefácio de Juca Kfouri e apresentação de Ignácio de Loyola Brandão, o livro conta ainda com o endosso de Roberto Cabrini e Alberto Dines. Um clássico.

Cultura...

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Literatura

"Sócrates eterno - história de um ídolo"
A obra é uma biografia escrita em primeira pessoa que vem a público pelas mãos da escritora e jornalista Kátia Bagnarelli, viúva de Sócrates. Formado em Medicina, o Doutor ou Magrão, como era chamado pelos amigos, trouxe na certidão de nascimento o nome Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira por causa do gosto de seu pai pelos livros, pela literatura e por alguns autores fundamentais para a história da civilização. Médico, jornalista, escritor, cantor, embaixador da fundação internacional 1GOAL, comentarista, pai de família, marido exemplar, educador e palestrante, conforme Kátia o apresenta. 

Além de algumas revelações nunca antes abordadas publicamente, o livro se dinamiza por ter como pano de fundo a história do Brasil e do esporte no mundo. Para reforçar o tom de homenagem póstuma e atemporal, o livro inclui depoimentos de personalidades, esportistas e amigos, nomes como os de Johan Cruyff, Ronaldo Fenômeno, Walter Casagrande, Toquinho, Zé Maria, Zenon, Zico, entre outros. No melhor tom confessional, o livro traz outras descobertas sobre a personalidade intensa do jogador, que teve problemas com o álcool. 

Cultura inútil...

Literatura

“Sócrates Brasileiro — Minha Vida ao Lado do Maior Torcedor do Brasil”
A maioria já conhece a trajetória de sucesso de Sócrates, não apenas por seu brilhantismo nos gramados, mas também pela visão crítica que inspirou milhares de brasileiros, seja com a criação da Democracia Corinthiana seja com o empenho e a obstinação da época das Diretas Já. Mais do que encantar em campo, Sócrates Brasileiro engajou-se na luta por um país melhor e continuou a fazê-lo até seus últimos dias. Poucos, porém, conhecem o homem por trás do mito – alguém que já nasceu com o peso da responsabilidade no próprio nome: Sócrates Brasileiro. Narrado pela esposa de Sócrates, a jornalista Kátia Bagnarelli, com a colaboração de Regina Echeverria, o livro é um relato emocionado dos últimos anos de vida de um dos maiores e mais polêmicos jogadores de futebol brasileiro. Nesta obra o leitor encontrará também boa parte de suas histórias, com opiniões inéditas sobre a democracia corintiana, a Copa de 1982, a CBF, as torcidas organizadas, as políticas de governo. 

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Carnaval 2018



Rio de Janeiro
A Beija-Flor de Nilópolis conquistou nesta quarta-feira, 14/02, seu 14º título no Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro. 

Escola de Nilópolis desfilou falando sobre corrupção, intolerância religiosa e problemas sociais. Segundo lugar ficou para a Paraíso do Tuiuti, que também tratou de política.

As escolas rebaixadas foram Grande Rio e Império Serrano, que no ano que vem desfilarão na Série A.

Classificação final
01º Beija-Flor – 269,6  
02º Paraíso do Tuiuti – 269,5  
03º Salgueiro – 269,5  
04º Portela – 269,4  
05º Mangueira – 269,3  
06º Mocidade Independente de Padre Miguel – 269,3  
07º Unidos da Tijuca – 269,1  
08º Imperatriz – 268,8  
09º Vila Isabel – 268,1  
10º União da Ilha – 267,3  
11º São Clemente – 266,9  
12º Grande Rio – 266,8  
13º Império Serrano – 265,6


Viradouro é campeã da Série A do carnaval do RJ e volta ao Grupo Especial após 03 anos

O último desfile da escola de Niterói no Grupo Especial tinha sido em 2015. A agremiação já foi campeã da Série A em 1990 e 2014 e do Grupo Especial em 1997.

A escola volta a elite com um enredo que homenageou gênios da criação, intitulado "Vira a cabeça, pira o coração - Loucos gênios da criação", citando personalidades como Albert Einstein (1879/1955), Leonardo Da Vinci (1452/1519), Galileu Galilei (1564/1642), Charles Chaplin (1989/1977), além de outras fictícias como Dom Quixote e Frankstein.

Classificação
01- Viradouro - 269,7 (sobe para o Grupo Especial)  
02- Unidos de Padre Miguel - 269,4
03- Porto da Pedra - 269,0  
04- Inocentes de Belford Roxo - 268,2  
05- Acadêmico do Cubango - 268  
06- Estácio de Sá - 267,5 
07- Império da Tijuca - 267,4  
08- Alegria da Zona Sul - 266,2  
09- Renascer de Jacarepaguá- 266,2  
10- Acadêmicos de Santa Cruz - 265,7  
11- Acadêmicos da Rocinha - 265,4  
12-Unidos de Bangu - 264,3 

13- Acadêmicos do Sossego – 263,7 (rebaixada à Série B)

São Paulo
Pelo segundo ano consecutivo, a escola de samba Acadêmicos do Tatuapé é a campeã do carnaval paulistano.

As escolas voltam ao Sambódromo na próxima sexta-feira, 16/02, no desfile das campeãs, que também terá a presença da Dragões da Real (05ª colocada), junto com Águia de Ouro e Colorado do Brás, campeã e vice do grupo de acesso. 

Este é o segundo título da história da Acadêmicos do Tatuapé, que voltou a disputar no grupo especial em 2013. O desfile da escola campeã foi assinado pelo carnavalesco Wagner Santos e teve a participação de 2.761 componentes, divididos em 26 alas e cinco carros alegóricos. A ala das baianas homenageou a Floresta dos Guarás, uma das maiores reservas florestais do Maranhão. O Palácio dos Leões, sede do governo, e outros pontos turísticos da capital São Luís, foram representados nas alegorias.  

Foram rebaixadas as escolas Unidos do Peruche e Independente Tricolor, punida com 1,2 ponto por usar uma empilhadeira para puxar um dos carros alegóricos. Apesar de ter desfilado, a Acadêmicos do Tucuruvi não foi avaliada pelos jurados. Os presidentes das 14 escolas do grupo especial concordaram que a agremiação não seria rebaixada após sofrer um incêndio em janeiro, que afetou 90% de suas fantasias e alegorias.

Classificação final :
01º Acadêmicos do Tatuapé – 270
02º Mocidade Alegre – 270
03º Mancha Verde – 270
04º Tom Maior – 270
05º Dragões da Real – 269,9
06º Império de Casa Verde – 269,7
07º Gaviões da Fiel – 269,6
08º Rosas de Ouro – 269,6
09º Vila Maria – 269,5
10º Vai-Vai – 269,3
11º X-9 Paulistana – 268,9
12º Unidos do Peruche – 268,4
13º Independente – 267,7 

Literatura

"Juína - A Rainha da Floresta"
Neste livro o autor, Lídio Ióris, descreve sua participação de 30 anos, do início da colonização em 1978 até os dias atuais. O sucesso de muitos e o insucesso de outros. A derrubada para plantio de lavoura, tanto temporária como perene, na garantia do lema 'plante que o governo garante'. A falência da agricultura e o avanço do pasto. A fase garimpeira do diamante. O surgimento, no rastro de Juína, de Castanheira, Juruena, Cotriguaçu, o desenvolvimento de Aripuanã e posteriormente Colniza e Rondolândia, formando-se o grande 'Pólo Juína'. O autor pretende demonstrar o lado bom e o lado mau dos políticos, das pessoas, descrevendo atos, condutas entre poder e autoridade, entre corrupção e honestidade, entre massificação e elitismo. 

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Fluminense

A partida pela Copa do Brasil será a 100ª partida do Fluminense no Engenhão!
Fluminense no Engenhão: 

99 jogos, com 46 vitórias, 30 empates e 23 derrotas, 157 gols pró e 108 contra, saldo de 49 gols a favor. 
Nesse estádio, o Fluminense conquistou o Campeonato Brasileiro de 2010 e o Campeonato Carioca de 2012, além de ter jogado lá em 17 jogos na conquista do Brasileiro de 2012, considerando apenas os títulos mais importantes, disputando nele também as partidas pelas Libertadores de 2011, 2012 e 2013.
Maiores públicos do Fluminense Football Club no Engenhão.
* Públicos presentes, versão da fonte em referência. 
01- 43.810 pessoas - Fluminense 1 x 2 Botafogo - Engenhão - Brasileiro 2007
02- 40..995 pessoas - Fluminense 1 x 0 Guarani - Engenhão - Brasileiro 2010 
03- 40.232 pessoas - Fluminense 1 x 2 América MG - Engenhão - Brasileiro 2011 
04- 38.862 pessoas - Fluminense 1 x 0 Flamengo - Engenhão - Brasileiro 2012
05- 36..374 pessoas - Vasco 1 x 3 Fluminense - Engenhão - Carioca 2012    
06- 36.276 pessoas - Fluminense 1 x 1 Boca Juniors - Engenhão - Libertadores da América 2012 
07- 36.263 pessoas - Fluminense 0 x 2 Boca Juniors - Engenhão - Libertadores da América 2012 
08- 36.227 pessoas - Fluminense 1 x 1 Goiás - Engenhão - Brasileiro 2010 
09- 35.217 pessoas - Fluminense 2 x 2 Grêmio - Engenhão - Brasileiro 2012 
10- 35.167 pessoas - Fluminense 0 x 2 Cruzeiro - Engenhão - Brasileiro 2012 
11- 34.132 pessoas - Fluminense 1 x 2 Vasco - Engenhão - Brasileiro 2011 
12- 33.975 pessoas - Fluminense 2 x 1 Coritiba - Engenhão - Brasileiro 2012 
13- 33.386 pessoas - Fluminense 2 x 1 Internacional - Engenhão - Libertadores da América 2012 
14- 30.844 pessoas - Flamengo 0 x 1 Fluminense - Engenhão - Brasileiro 2012 
15- 28.928 pessoas - Fluminense 1 x 0 Arsenal de Sarandi - Engenhão - Libertadores da América 2012.
Pelos números oficiais do FFC, será o jogo 99. São 98 jogos até agora. O Fluzao.info considera o jogo de 23/03/2013 contra o Duque de Caxias como sendo no Engenhão, mas a partida ocorreu no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.
DUQUE DE CAXIAS 0 X 0 FLUMINENSEMotivo: Campeonato Carioca
Local: Estádio Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Data/Hora: Sábado, 23/03/2013 / 16h (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Jackson Lourenço Massarra dos Santos (RJ)
Renda / público: R$ 17.605,00 / 2.416 ( 1.288 pagantes )
Cartões amarelos: Ségio Raphael, 23'/1ºT, Dudu, 29'/1ºT, Lucas, 8'/2ºT e Antõnio Carlos Ratinho, 6'/2ºT(DUQ); Diguinho, 42'/1ºT (FLU)

DCFC: Fernando; Iago Santos, Paulão, Sérgio Raphael e Antônio Carlos Ratinho; Dudu, Renan Silva, Lucas e Otávio (Digão, 22'/2ºT); André Gomes (Rafinha, 22'/2ºT) e Charles Chad (João Carlos, 43'/2ºT).
Técnico: Mário Marques
FFC: Ricardo Berna; Wallace (Felipe, 33'/2ºT), Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho (Rhayner, 14'/2ºT), Diguinho, Wagner e Deco; Wellington Nem e Samuel (Rafael Sóbis, 22'/2ºT)
Técnico: Abel Braga.

Obs.: Desfalcado de cinco titulares, Diego Cavalieri, Jean e Fred na Seleção Brasileira, Bruno e Thiago Neves, além de Valencia servindo a Seleção Colombiana que por contusão pouco tem jogado nos últimos meses, o Flu acertou duas bolas na trave (foram sete nos últimos quatro jogos pelo estadual) e cansou de perder gols, na 400ª partida da história do Duque de Caxias em oito anos como clube profissional.


Artilharia de tricolores no Engenhão:  
01- Fred (2016) - 39 gols
02- Rafael Moura (2012) - 17 
03- Welington Nem (2013) - 08  
Fonte: www.fluzao.info


Literatura

“Por que perdeu? – Dez desfiles derrotados que fizeram história” 

Festa de momo

Carnaval
É uma palavra que tem origem no latim "carna vale" e que significa dizer "adeus à carne".

Período anual de festas profanas, originadas na Antiguidade e recuperadas pelo cristianismo, e que começava no dia de Reis (Epifania) e acabava na Quarta-Feira de Cinzas, às vésperas da Quaresma (Festejos populares provenientes de ritos e costumes pagãos, caracterizavam-se pela liberdade de expressão e movimento).

Carnaval ou entrudo são os três dias de festas que precedem a quarta feira de cinzas, dedicado a festejos, bailes, desfiles e folguedos populares (no passado, equivalia ao entrudo).

O carnaval chegou ao Brasil através das festas que ocorriam na Europa, principalmente na Itália e na França, no século XVII.

As fantasias de pierrô (pierrot) e de colombina foram logo incorporadas ao carnaval brasileiro.

No início, as festas de carnaval aconteciam nas ruas, com desfiles de fantasias. Posteriormente, passaram a ser realizadas nos clubes, onde eram tocadas as marchas, os sambas e os frevos preparados para os festejos.

Entrudo é uma antiga celebração que acontecia nos três primeiros dias antes da Quaresma, e que foi substituída pelo atual Carnaval.

O Entrudo chegou ao Brasil juntamente com os portugueses, em 1641, na cidade do Rio de Janeiro. Desde o início, participavam da comemoração todas as famílias e também os escravos.

Literatura

“O enredo do meu samba – A história de quinze sambas-enredo imortais”

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Vanor França

Luto
                 Morre em Juiz de Fora o radialista Vanor França
Morreu nesta quinta feira, 08/02, aos 66 anos, no HPS (Hospital de Pronto Socorro), o radialista Vanor França. De acordo com o boletim médico, o radialista teve como causa morte, traumatismo craniano. Vanor França foi atropelado por um ônibus urbano em 26 de janeiro passado, na avenida Rio Branco, centro de Juiz de Fora. Socorrido e levado para o HPS, onde permaneceu internado no CTI. O corpo está sendo velado na capela 07 do cemitério municipal Nossa Senhora Aparecida, no bairro do Poço Rico, e o sepultamento está previsto para às 09 horas de sexta-feira, no mesmo cemitério.

Vanor de Souza França nasceu em Argirita-MG, região de Leopoldina, em 08 de julho de 1951, filho de Antenor França e Sebastiana de Souza França, era casado com Zilma Supimpa França, pai de 04 filhos, um deles, o também radialista Wanderson França (Dé França). Comunicador sertanejo e torcedor do Botafogo, no rádio Vanor teve passagens destacadas pelas rádios Capital AM e Juiz de Fora AM e FM. De família tradicional de sertanejos, com destaque para Osmar e Mazinho e Waltinho França, Vanor era, no microfone, um árduo defensor da música raiz.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Literatura

"Guerreiros de Santa Maria"
De autoria do jornalista e escritor cearense, Paulinho Oliveira, a obra aborda a Tragédia de Santa Maria (o incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria – RS, no dia 27 de janeiro de 2013, que matou 242 pessoas e feriu outras 600) e a luta dos guerreiros (pais, parentes e amigos das vítimas fatais, bem como os sobreviventes da tragédia) para vencer seus traumas e por justiça. Paulinho Oliveira, para escrever o livro, fez pesquisas em órgãos de imprensa e conversou com quem teve contato direto com a tragédia, inclusive pessoalmente, quando visitou Santa Maria em agosto de 2013. 

Futebol mineiro

              Villa Nova (Nova Lima) e Tupi (Juiz de Fora)
                          por Wagner Augusto Álvares de Freitas*
Neste domingo, 04 de fevereiro, O Villa Nova, o Leão do Bonfim, entra em campo para enfrentar um adversário tradicional, o Tupi, o Galo Carijó, rival desde 1917.
Pelo Campeonato Mineiro, será o 50º confronto entre as equipes.
Os números do duelo entre Leão do Bonfim e Galo Carijó são estes:
ESTATÍSTICA GERAL:
87 JOGOS
26 VITÓRIAS DO VILLA NOVA
27 VITÓRIAS DO TUPI
34 EMPATES
111 GOLS PRÓ-VILLA NOVA
99 GOLS PRÓ-TUPI
ESTATÍSTICA PELO CAMPEONATO MINEIRO:
49 JOGOS
17 VITÓRIAS DO VILLA NOVA
16 VITÓRIAS DO TUPI
16 EMPATES
69 GOLS PRÓ-VILLA NOVA
63 GOLS PRÓ-TUPI
Último confronto em 2017, em Nova Lima, Villa Nova 1 x 2 Tupi.
*Wagner Augusto é jornalista, historiador e escritor
(FONTE: ALMANAQUE DO LEÃO DO BONFIM)

Literatura

"Felicidade Fechada"

Livro de Miruna Genoino narra, a partir dos relatos e memórias afetivas da filha, a trajetória do pai, o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) e militante de esquerda José Genoino, desde a primeira acusação em 2005 à liberdade em 2014.

O livro traz a correspondência trocada entre Miruna e o pai. Foram mais de 100 cartas, no período que vai de 03 de maio a 11 de agosto de 2014, quando Genoino deixa um curto período de prisão domiciliar e retorna ao presídio da Papuda, no Distrito Federal. Assim, é retomado um antigo hábito de Miruna e do caçula Ronan Kayano, que quando crianças costumavam escrever cartinhas ao pai. O tom familiar é reforçado com desenhos dos netos Paulinha e Luis, fotos e retratos pintados por Rioco.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Dr Maranhas - Uma vida profissional dedicada ao Tupi

O médico ortopedista José Roberto Maranhas Brandão tem uma história que se confunde com a própria história do Tupi. Lá  atrás, na década de 1980, quando o clube, hoje centenário, era apenas um senhor setentão, o então jovem médico recém-formado, já trocava plantões nos hospitais para acompanhar o Tupi em longas e cansativas viagens. Eram jogos contra a Ipanemense, em Ipanema de Minas, região leste do estado, que ainda não possui asfalto, enfrentando o poeirão. Sem contar as longas viagens para o triângulo mineiro, nem sempre em ônibus confortáveis. Foi através dele que médicos importantes da sociedade juizforana, José Rafael Leão, Luiz Fernando Ciribelli e outros, prestaram serviço ao Tupi e pegaram afinidade com o clube, sendo hoje, torcedores de arquibancada. Cabe aqui ressaltar que em 2000, quando o Tupi, que tinha Luiz Alberto como técnico e Adil e Ado no elenco, enfrentou o Ateneu em Montes Claros (o jogo foi numa quinta-feira, dia Corpus Christi) e o zagueiro Reginaldo sofreu uma grave lesão. Campo seco e duro, Reginaldo foi jogado contra um barranco, saindo de campo com uma grave lesão em que alguns não acreditavam em sua recuperação. Em Juiz de Fora, Dr Maranhas em sua clínica e com sua equipe, entra em cena, cirurgia foi um sucesso e a recuperação, apesar de longa, foi satisfatória e Reginaldo, não só retornou aos gramados, mas ganhou projeção atuando no América Mineiro.Há quem afirme que todo procedimento foi sem custo para o Tupi. Com o seu desligamento do clube, após mais de 30 anos de dedicação, o que se percebe nas conversas nas ruas e nos comentários nas mídias sociais é de que há uma expectativa de sua volta num cargo eletivo, nas próximas eleições que se aproximam. Embora há quem atribui a ele o veto ao nome de Wellington Fajardo (muito querido por uma fatia considerável da torcida) para o comando técnico do Tupi. Verdade ou não, o fato é, que desde 2003, na gestão do Bretas, que o Fajardo não dirigi mais o Tupi. E de lá para cá, já passaram por Santa Terezinha, Jordan de Freitas, Alexandre Gasseli e Eder Bastos, nomes nada compatíveis com a tradição do Tupi. Creso Heleno Cordeiro, Walker Campos e José Roberto Maranhas, isso tem demonstrado que o santo de casa não tem feito milagre, ou não está tendo o seu trabalho, devidamente reconhecido. Quanto ao Marcel, nada a observar, tendo em vista que saiu para um mercado, na visão dele e das pessoas próxima, promissor. O que não é o caso dos demais profissionais que deixaram o clube.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Literatura

"A Gretoeste: a história da rede ferroviária Great Western of Brazil"
A Great Western of Brazil Railway, popularmente conhecida como A Gretoeste, é uma das redes ferroviárias mais importantes e lembradas no Brasil. Esta ferrovia remonta sua história à primeira estrada de ferro de importância econômica no Brasil (inaugurada em 1858). Ela chegou a dominar mais de 1.700 quilômetros de vias férreas em quatro Estados no nordeste, e perdurou como uma empresa britânica durante quase um século até sua nacionalização em 1950. Escrita por William Edmundson, a obra tem com 350 páginas e 36 fotos foi lançada pela Ideia Editora.



domingo, 21 de janeiro de 2018

Cezar Rizzo

Luto
Morre no Rio, aos 82 anos, Cezar Rizzo, o narrador que "sacudia" o futebol do Brasil.
Cezzar Rizzo morreu neste domingo, 21/01, vítima de câncer, contra o qual lutava há dez anos. O corpo está sendo velado no cemitério Parque da Colina, em Niterói, região metropolitana do Rio e será cremado nesta segunda-feira no crematório do cemitério do Caju, na zona portuária do Rio.

Capixaba de Vitória, Cezar Rizzo começou sua carreira na tradicional Rádio Capixaba. Antes de chegar ao Rio, trabalhou na Rádio Itatiaia de Belo Horizonte (de julho de 1967 a janeiro de 1968), com passagens por emissoras da Bahia e de São Paulo.


Em 1970 chegou ao Rio de Janeiro e trabalhou nas rádios Vera Cruz, América, Tropical, Tamoio, Brasil, Manchete, Nacional, Tupi e Globo.


No rádio, cobriu uma Olimpíada, a de Moscou, na Rússia, em 1980 e quatro Copas do Mundo, 1982 (Espanha), 1986 (México), 1994 (Estados Unidos) e 1998 (França).


Torcedor do Flamengo, Cezar Rizzo, antes de iniciar carreira no rádio, foi goleiro do Vitória de 1955 a 1957. 

Literatura

"Todo dia a mesma noite – A história não contada da boate Kiss"
A jornalista e escritora, Daniela Arbex, autora de "Holocausto Brasileiro - Vida, Genocídio e 60 Mil Mortes No Maior Hospício do Brasil" (2013), que abrange um período entre 1903 e 1980 e "Cova 312"  (2015), que situa-se em 1967, apresenta em sua terceira obra a reconstituição, de forma inédita, os eventos da madrugada de 27 de janeiro de 2013, quando a cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, perdeu de uma só vez 242 vidas.  Foram necessárias centenas de horas dos depoimentos de sobreviventes, familiares das vítimas, equipes de resgate e profissionais da área da saúde, para sentir e entender a verdadeira dimensão de uma tragédia sobre a qual já se pensava saber tudo, ou quase tudo. A autora construiu um memorial contra o esquecimento dessa noite tenebrosa, que transporta o leitor até o momento em que as pessoas se amontoaram nos banheiros da Boate Kiss em busca de ar, ao ginásio onde pais foram buscar seus filhos mortos, aos hospitais onde se tentava desesperadamente salvar as vidas que se esvaíam. Foi também em busca dos que continuam vivos, dos dias seguintes, das consequências de descuidos banalizados por empresários, políticos e cidadãos.



quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Futebol mineiro

Com 12 clubes e novo regulamento, campeonato Mineiro começa nesta quarta-feira, 17/01 e vai até 08 de abril  
Dos 12 clubes que começam o torneio, oito se classificam à próxima fase
Na noite desta quarta-feira, 17/01, tem início o Campeonato Mineiro de 2018. Ao todo, 12 equipes buscam o título de campeão. Cinco partidas abrem a competição, com apenas uma fechando a primeira rodada nesta quinta, 18/01. O torneio tem duração prevista até 08 de abril.  O Campeonato Mineiro deste ano teve uma mudança em relação à edição de 2017.  O novo formato mantém as 11 rodadas na primeira fase. Os oito primeiros times, entre os 12 concorrentes, se classificam às quartas de final, que serão disputadas em jogo único. Os donos das melhores campanhas têm a vantagem de jogar em casa. Em caso de empate, a vaga será definida nos pênaltis. As duas piores equipes ao final da fase classificatória são rebaixadas ao Módulo II.  A semifinal e a final seguem com jogos de ida e volta. Os clubes de melhor campanha na primeira fase fazem a segunda partida decisiva em casa. A primeira rodada do Estadual’2018 tem cinco jogos nesta quarta-feira e um na quinta. A finalíssima está marcada para 8 de abril. Ao todo, são 16 datas da competição. O Atlético é o atual campeão.

Clubes pós-Estadual 
Com o fim do Estadual em abril de 2018, América, Atlético, Cruzeiro, Boa Esporte, Tombense, Tupi, Caldense, Uberlândia e URT se concentram no Campeonato Brasileiro, todos em suas respectivas divisões.

Outras competições 
Eliminatórias, como Libertadores, Sul-Americana e Copa do Brasil, também integram o calendário.  A exceção cabe a Democrata-GV, Patrocinense e Villa Nova, que encerram a temporada em abril, caso nenhuma competição organizada pela FMF seja lançada em 2018.

Primeira rodada  
Quarta-feira (17/01/2018) 
19h30: América x Patrocinense (Independência)
20h: Tombense x Villa Nova (Almeidão)
20h30: Uberlândia x URT (Parque do Sabiá)
20h30: Democrata-GV x Caldense (Mamudão)
21h45: Cruzeiro x Tupi (Mineirão) .

Quinta-feira (18/01/2018) 
19h30: Boa x Atlético (Municipal de Varginha)

Títulos por clube
Atlético – 44
Cruzeiro – 36
América – 16
Villa Nova (Nova Lima) – 05
Siderúrgica (Sabará) – 02
Ipatinga – 01
Caldense – 01
Fonte: www.uai.com.br

Obs 
A Caldense "venceu" o Mineiro de 2002 na primeira fase, apenas com, clubes do interior na disputa. Cruzeiro, Atlético, América e Mamoré (Patos de Minas) disputaram a Copa Sul/Minas. Na fase decisiva, as quatros equipes da Su/Minas, se juntaram a Caldense. Nesta fase o Cruzeiro foi o campeão, Caldense vice, América em terceiro, Atlético foi o quarto e o Mamoré, que havia dado vexame na Sul/Minas, foi o último.  A exemplo do Paulista daquele ano, em que o Ituano, dirigido na época por Ademir Fonseca, ganhou a primeira fase e o São Paulo ganhou a segunda fase (super campeonato), com o time de Itu ficando em segundo, Corinthians em terceiro e Palmeiras em quarto.

CONSIDERAÇÕES 
Campeonato com fórmula de disputa esdrúxula em que Cruzeiro e Atlético correm o risco de se enfrentarem ainda na segunda fase, o que esvaziaria a competição. O tolerável é uma competição com 14 equipes, com 13 rodadas na primeira fase, classificando os 04 melhores, rebaixando os 02 últimos, com os demais, do 05º ao 12º permanecendo nas suas respectivas posições.


Literatura

sábado, 13 de janeiro de 2018

Bíblia Sagrada

 "Quais são os diferentes nomes e títulos da Bíblia?"

Resposta: 
Há mais de doze nomes e títulos da Bíblia encontrados tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Encontre a seguir uma lista dos mais bem conhecidos:

Livro da Lei (Deuteronômio 31:26) - "Tomai este livro da lei, e ponde-o ao lado da arca do pacto do Senhor vosso Deus, para que ali esteja por testemunha contra vós." A Bíblia é descrita como um livro de leis, leis as quais não são destinadas a nos escravizar ou sufocar o nosso relacionamento com Deus, mas que se destinam a aumentar o nosso conhecimento da justiça de Deus e nos direcionar a Cristo.

Evangelho (Romanos 1:16) - "Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê..." A Bíblia nos revela o Evangelho, a boa nova, sobre o Senhor Jesus Cristo. Através de Filho de Deus, os nossos pecados são perdoados e recebemos a salvação.

Sagradas Escrituras (Romanos 1:2) - "que ele antes havia prometido pelos seus profetas nas santas Escrituras." A Bíblia é uma coleção de escritos sagrados que são santos e autoritários porque foram inspirados por Deus.

Lei do Senhor (Salmo 19:7) - "A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples." As leis da Bíblia não devem ser confundidas com quaisquer outras porque são os mandamentos do Senhor, só dEle, e não ideias do homem.

Palavras de Vida (Atos 7:38) - "Este é o que esteve na congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai, e com nossos pais, o qual recebeu palavras de vida para vo-las dar." A Bíblia é um livro vivo, pois cada livro, capítulo e versículo estão vivos com o conhecimento e a sabedoria de Deus.

A Palavra de Cristo (Colossenses 3:16) - "A palavra de Cristo habite em vós ricamente, em toda a sabedoria; ensinai-vos e admoestai-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, louvando a Deus com gratidão em vossos corações." A mensagem de Cristo é a mensagem da salvação do pecado através do Único que pode realizá-la.

Escrituras (2 Timóteo 3:16) - "Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça." Inspirada por Deus, a Bíblia é uma coleção de escritos como nenhuma outra. É o único livro escrito por homens movidos, ou "levados", pelo Espírito de Deus (2 Pedro 1:21).

O Rolo (Salmo 40:7) - "Então disse eu: Eis aqui venho; no rolo do livro está escrito a meu respeito." Ao profetizar sobre Jesus, a Bíblia refere-se a si mesma como um rolo, um rolo de pergaminho documentando o conhecimento de valor inestimável a ser compartilhado de geração em geração.

Espada do Espírito (Efésios 6:17) - "Tomai também... a espada do Espírito, que é a palavra de Deus." Assim como a espada, a Bíblia pode se defender contra qualquer ataque com a verdade de Deus. O escritor aos Hebreus diz que a Bíblia é mais cortante do que qualquer "faca de dois gumes" porque é capaz de dividir a "alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração" (Hebreus 4:12).

Verdade (João 17:17) - "Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade." Já que a Bíblia é a Palavra de Deus, então ela é a verdade. Cada palavra é da mente de Deus. Já que Ele é a verdade, então a Sua Palavra também tem que ser verdade.

Palavra de Deus (Lucas 11:28) - "Mas ele respondeu: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus, e a observam." A Bíblia é como o porta-voz de Deus, pois através de cada livro Ele fala diretamente a nós.

Palavra da Vida (Filipenses 2:16) - ".... retendo a palavra da vida." A Bíblia nos revela a diferença entre a vida e a morte -- a vida eterna que está diante daqueles que aceitam a Jesus Cristo como seu Salvador e a morte eterna para aqueles que não.

Palavras do Senhor (Salmo 12:6) - "As palavras do Senhor são palavras puras, como prata refinada numa fornalha de barro, purificada sete vezes." As palavras da Bíblia são perfeitas e sem falha porque são as palavras do Senhor, proclamadas pelos profetas e apóstolos para revelar o amor e a glória de Deus.

Literatura

"A História - a Bíblia Contada Como Uma Só História do Começo Ao Fim"

Quantas vezes você tentou ler a Bíblia, mas desistiu por achar a leitura cansativa e complicada? Mas, no fundo, continuou com vontade de conhecer esses textos por ter consciência de sua importância na história da humanidade.  Agora você vai ter a oportunidade de conhecer o que há de essencial na Bíblia, pois A História é um livro que vai prender sua atenção do princípio ao fim. É de fato uma bela história. A Bíblia é uma narrativa repleta de amor, ódio, disputas, conquistas e milagres. Ela nos traz poesia, cultura, episódios históricos e teologia. É um verdadeiro romance de suspense, um livro de sociologia, uma lição de História – tudo isso em torno do conflito eterno entre o bem e o mal.  O texto nos faz conhecer pessoas que, apesar de pertencerem a épocas e lugares muito diferentes, são extremamente parecidas conosco em nossas buscas e paixões. Para facilitar a compreensão, este livro utiliza trechos extraídos da Nova Versão Internacional da Bíblia e apresenta os fatos em ordem cronológica, da Criação ao Apocalipse, em 32 capítulos claros e concisos. A História traz ainda um prefácio de Max Lucado e Randy Frazee, além de perguntas para reflexão, uma lista dos personagens, mapas, linha do tempo, notas e comentários explicativos. Com seu comprovado poder de orientar vidas e fornecer respostas aos mais diversos questionamentos, este livro conta a emocionante jornada de um povo em busca de salvação e está repleto de ensinamentos profundos e poderosos.

Bíblia Sagrada

                          Há diferentes bíblias cristãs
O número de livros depende da tradição a qual uma versão se apoia. 
Para os católicos a Bíblia é composta de 73 livros, sendo 46 do Antigo Testamento e 27 do Novo. 
A Bíblia dos protestantes tem 66 livros: 39 do Antigo e 27 do Novo Testamento. 
O novo testamento, os livros que escritos a partir de Cristo, é igual em todas as bíblias. A diferença se encontra nos livros do Antigo Testamento, os textos escritos antes do nascimento de Cristo.  
Do Antigo Testamento, a bíblia dos protestantes exclui 07 livros, os assim chamados “deuterocanônicos” (denominados "apócrifos" pelos protestantes): Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico (ou Sirácides), Baruque, I Macabeus e II Macabeus, e alguns trechos nos livros de Ester e de Daniel. 
Esses livros originalmente foram escritos em grego e, baseados numa decisão tomada no período da igreja nascente (final do primeiro século), não foram incluídos na lista dos livros considerados inspirados pelos judeus. Os cristãos, todavia, usavam tais escritos. Provavelmente por isso a comunidade hebraica, que precisava criar uma identidade autônoma dos cristãos, decidiu excluí-los do seu cânon. Os cristãos durante 1500 anos usaram os 73 livros. Porém, por ocasião da Reforma promovida por Martinho Lutero (em alemão: Martin Luther), que viveu de 10 de novembro de 1483 a 18 de fevereiro de 1546, esses livros foram considerados pelos protestantes como não inspirados (Lutero não os retirou da edição de sua Bíblia, embora não equiparasse o seu valor ao dos outros livros). Mais tarde as edições protestantes da Bíblia excluíram definitivamente esses textos, enquanto que para a igreja católica eles continuam válidos e tem o valor de palavra inspirada.  Entre as igrejas cristãs ortodoxas há outras versões da Bíblia que além dos livros citados incluem outros dois livros de Esdras, outros dois dos Macabeus, a Oração de Manassés, e alguns capítulos a mais no final do livro dos Salmos (um nas Bíblias das igrejas de tradição grega, cóptica, eslava e bizantina, e cinco nas Bíblias das igrejas de tradição siríaca).

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Literatura

"1964 — O Elo Perdido - O Brasil nos Arquivos do Serviço Secreto Comunista"
Este livro põe em nova perspectiva as conturbadas décadas de 50 e 60 no Brasil pelo prisma dos documentos oficiais dos serviços secretos do bloco soviético, que atuaram no país de for¬ma intensa e muitas vezes insuspeita. São relatórios de agentes secretos, planos de operações, recibos de pagamento em dinheiro de colaboradores brasileiros e outras informações sobre a presença ilegal dos países comunistas no Brasil, que não só surpreendem como denunciam atividades atentatórias à segurança nacional. A ousadia dessa infiltração foi tamanha que dela foram alvos os gabinetes presidenciais dos três últimos governos antes do notório 31 de março de 1964.

domingo, 7 de janeiro de 2018

Marcella Ferreira Camacho

Literatura

"A Elite do Atraso - Da Escravidão à Lava Jato"

Numa época em que a questão das desigualdades racial e social estão, mais do que nunca, no centro de cena - dos grandes veículos de comunicação aos comentários nas redes sociais e até mesmo nas conversas das mesas de bar, onde todos parecem ter uma ideia muito bem definida do que é capaz de construir um país ideal -, o sociólogo Jessé Souza escancara o pacto dos donos do poder para perpetuar uma sociedade cruel forjada na escravidão. Esse é o pilar de sustentação de nossa elite, A Elite do Atraso. Depois da polêmica aberta pela obra A Tolice da Inteligência Brasileira e da contundência exposta em A Radiografia do Golpe, o autor apresenta obra surpreendente, forte, inovadora e crítica na essência, com um texto aguerrido e acessível. A Elite do Atraso é um livro para ser apoiado, debatido ou questionado - mas será impossível reagir de maneira indiferente à leitura contundente de Jessé Souza a ideias difundidas na academia e na mídia.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Cultura popular

Dia de Reis
O Dia de Reis, segundo a tradição cristã, seria aquele em que Jesus Cristo recém-nascido recebera a visita de "alguns magos do oriente" (Mateus 2:1) que, segundo o hagiológio, foram três Reis Magos, e que ocorrera no dia 06 de janeiro. A noite do dia 05 de janeiro e madrugada do dia 06 é conhecida como "Noite de Reis".

A data marca, para os católicos, o dia para a veneração aos Reis Magos, que a tradição surgida no século VIII converteu nos santos Melchior (Melquior ou Belchior), Gaspar e Baltazar (Baltasar). Nesta data, ainda, encerram-se para os católicos os festejos natalícios - sendo o dia em que são desarmados os presépios e por conseguinte são retirados todos os enfeites natalícios.

Folia de Reis
Folia de Reis, Reisado, ou Festa de Santos Reis é uma manifestação cultural religiosa festiva e classificada, no Brasil, como folclore; praticada pelos adeptos e simpatizantes do catolicismo, no intuito de rememorar a atitude dos Três Reis Magos (Melchior (Melquior ou Belchior), Gaspar e Baltazar (Baltasar), que partiram em uma jornada à procura do esconderijo do Prometido Messias (O Menino Jesus Cristo), para prestar-lhe homenagens e dar-lhe presentes. Essa história é relatada na Bíblia Sagrada, no capítulo 2 do Livro de São Mateus (ou O Evangelho, Segundo Mateus). Fixado o nascimento de Jesus Cristo a 25 de dezembro, adotou-se a data da visitação dos Três Reis Magos como sendo o dia 06 de janeiro.Em alguns países de origem latina, especialmente aqueles cuja cultura tem origem espanhola, passou a ser a mais importante data comemorativa católica, mais importante, inclusive, que o próprio Natal. No estado do Rio de Janeiro, no Brasil, os grupos realizam folias até o dia 20 de janeiro, dia de São Sebastião, o padroeiro do estado. Na cultura tradicional brasileira, os festejos de Natal eram comemorados por grupos que visitavam as casas, tocando músicas alegres em louvor aos "Santos Reis" e ao nascimento de Cristo; essas manifestações festivas estendiam-se até a data consagrada aos Três Reis Magos, 06 de janeiro. Trata-se de uma tradição vinda da Espanha que ganhou força especialmente no século XIX e que mantém-se viva em muitas regiões do País, sobretudo nas pequenas cidades dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás, dentre outros.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Literatura

"Humberto Mauro, cinema e história"
Atualmente vemos com mais frequência estudos sobre história e cinema. Contudo, vale reforçar que a pesquisa encontrada neste livro, sobre o diretor de cinema Humberto Mauro (1897/1983), foi resultado de estudos de um historiador e cinéfilo, Eduardo Morettin, que analisa filmes com uma perspectiva histórica desde a década de 1980. A partir de dois filmes da década de 1930 – “Descobrimento do Brasil” e “Os Bandeirantes” – encomendados por representantes do governo Vargas ao grande cineasta da época, Humberto Mauro, Eduardo Morettin apresenta uma interpretação engajada em conceitos que norteiam os estudos da relação entre cinema e história. A pesquisa mostra de maneira o governo Vagas tentava controlar e padronizar a produção cultural da época. A extensa análise de Eduardo Morettin exigiu um detalhado trabalho de reconstrução do imaginário construído em torno dos “bandeirantes” e da “descoberta do Brasil” com a finalidade de estabelecer relações entre os projetos ideológicos com os quais os filmes dialogam e o contexto em que foram produzidos. 

Desta maneira, Morettin nos mostra que a obra de Humberto Mauro é relevante para entender historicamente a era Vargas ao abordar questões do passado fazendo conexões com o presente. O pesquisador faz uma excelente análise sobre a participação, a proposta e a realização dos filmes, de intelectuais e artistas como Villa Lobos e Roquette Pinto, que foram peças chave na construção politica e cultural da época por isso, neste livro, Morettin se refere ao cinema como um lugar de memória e instrumento de entendimento do passado.

Futebol internacional

                           Florida Cup 2018   

A Florida Cup 2018 vai ser disputada entre os dias 10 e 20 de janeiro, em Orlando, na Flórida.  Atlético Mineiro (BRA), Atlético Nacional (COL), Barcelona SC (EQU), Corinthians (BRA), Fluminense (BRA), Legia Varsóvia (POL), PSV Eindhoven (HOL) e Rangers FC (ESC) são as equipes confirmadas na competição, que irá para sua quarta edição em 2018.

Os jogos da Florida Cup 2018 
(horários de Brasília):
Qua - 10/01/2018 - 22h00 - Corinthians X PSV (Hol) 
Qui - 11/01/2018 - 22h00 - Atlético Mineiro X Rangers (Esc) 
Sex - 12/01/2018 - 22h00 - PSV (Hol) X Fluminense 
Sáb - 13/01/2018 - 16h00 - Rangers (Esc) X Corinthians 
Sáb - 13/01/2018 - 18h00 - Barcelona (Equ) X Légia Varsóvia (Pol) 
Dom - 14/01/2018 - 16h00 - Atlético Nacional (Col) X Atlético Mineiro 
Seg - 15/01/2018 - 19h00 - Fluminense X Barcelona (Equ) 
Sáb - 20/01/2018 - 21h00 - Légia Varsóvia (Pol) X Atlético Nacional (Col) 

Literatura

"Ataúfo Alves: Vida e obra"
Em razão das comemorações do centenário de Ataulfo Alves (1909/1969), o jornalista Sérgio Cabral, amigo pessoal de Ataulfo, apresenta toda a trajetória de vida e as grandes obras que consagraram o compositor como um dos maiores expoentes do samba neste país. Além de curiosidades e grandes histórias, a obra registra toda a musicografia do artista, que ultrapassa 320 composições, sendo uma das maiores da música popular brasileira em número e também em sucessos.

domingo, 31 de dezembro de 2017

São Silvestre

        93ª Corrida Internacional de São Silvestre
O Brasil ficou longe do pódio no masculino e no feminino. A melhor colocação foi o 10º lugar de Joziane Cardoso. No masculino, o brasileiro mais bem colocado foi Ederson Vilela, em 11º lugar. O último do país a vencer foi Marilson Gomes dos Santos, em 2010. No feminino, Lucélia Peres foi a última brasileira campeã, em 2006, ano que teve dobradinha dos anfitriões com Franck Caldeira vencendo no masculino.  

Masculino:
01 - Dawitt Admasu (ETI) - 44m17s  
02 - Belay Bezabh (ETI) - 44m33s  
03 - Edwin Rotich(QUE) - 44m43s  
04 - Birhanu Balew (BAH) - 45m06s  
05 - Paul Kipchumba Lonyangata (QUE) - 45m28s  
11 - Ederson Vilela (BRA) - 46m59s

Feminio:
01 - Flomena Cheyech (QUE) - 50min18s  
02 - Sintayehu Hailemichael (ETI) - 50min55s  
03 - Birhane Dibaba (ETI) - 50min77s  
04 - Wude Ayalew Yimer - 51min35s  
05 - Paiskalia Chepkorir - 51min55
10 - Joziane Cardoso (BRA)

Literatura

“Dr.Maninho, o prefeito do povo”
Escrito por Marilene Godinho, o livro traz documentos e depoimentos que dão-nos conta de um homem honrado que, antes de tudo, foi um prefeito que amou seu povo e devotou-lhe cada instante de sua vida. Foi amado por todos porque amou todos, indistintamente. Não ofendia nem mesmo os adversários políticos. Foi um homem da paz e da alegria. Bem humorado, fundou a Banda de Música, construiu o clube dos operários e adorava o carnaval. De bem com a vida, soube se misturar ao povo com a simplicidade dos que lutam pelo bem comum.
Além da história de Dr. Maninho, o livro conta com depoimentos de Renato de Assis, Míriam Mangeli, Cyro do Val, Eliana Chaves Spínola e outros que foram provas eloquentes de sua atuação feita de trabalho e bondade. 

sábado, 30 de dezembro de 2017

Futebol amador

                       Bragantino
Time do bairro Floresta, em Juiz de Fora-MG.
Em pé: Guilhermão (torcedor), Cesão (técnico), Fernando (Fernando Alves Ferreira), Arroz, Moreno (Anderson), Dico (Arlindo Luiz Neto), Edgar Castor e Zé Orlando (técnico).
Agachados: Guinho, Pato (Luiz Anderson), Nei Grilo (Sidnei), Menso (Wemerson Luiz Barbosa), Eminho (Emerson), Thethelo (Marcelo Adriano Oliveira), Lekim e Tinguá (Flaviano).

Literatura

"Biografia de Astolfo Dutra - Um líder mineiro na república velha"

O autor, Astolfo Dutra Nicácio, apresenta um painel dos costumes políticos da época, na medida em que se interligam à atuação de Astolfo Dutra, objetivando o tempo e os ambientes em que se formou e viveu, encaradas a evolução e a decadência econômica do clã do avô Major Vieira, desde a fixação na sesmaria da Glória.

Palma-MG

Palma é um município localizado na Zona da Mata de Minas Gerais, microregião de Muriaé. As origens de Palma se remetem à região da Fazenda Glória Mineira. Em 1864, o povoado de Sítio da Cotieira (por haver muitas cutias na região) se tornou distrito de Cataguases como nome de São Francisco de Assis do Capivara (por haver sido construída pelos tropeiros uma capela em homenagem a São Francisco de Assis e as capivaras eram muito comuns na região). Os cutias e capivaras ainda existem no município, mas num numero muito reduzido. 

Emancipou-se em 23 de dezembro de 1890, teve sua fundação em 24 de maio de 1892 e então passou a se chamar Palma, por haver muitas palmeiras no centro da cidade. O dia 24 de maio foi tomado como dia do aniversário de Palma.

Se seu segundo nome ''São Francisco de Assis do Capivara" houvesse sido mantido em sua emancipação, hoje seria o município com o maior nome do Brasil. Mais que o atual município com maior nome que é Vila Bela da Santíssima Trindade, no estado de Mato Grosso.


Além do distrito-sede, Palma possui mais dois distritos, Cisneiro (originalmente, Cysneiros) e Itapiruçu (originalmente, Tapirussu), três povoados, Coqueiro, Maromba e Córrego Alegre, além de lugarejos, Berra Onça, Caixa Dágua, Quebra Canga, Inhame, Arralzinho, e fazendas famosas, Celidônia, Sossego, Bom Destino, Itupeva (Minas e Rio) e outras..

Palma se limita com os municípios mineiros de Recreio, Muriaé, Laranjal e Barão de Monte Alto (antigo distrito de Palma emancipado em 1962) e os municípios fluminenses de Miracema e Santo Antônio de Pádua.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Literatura

"São Paulo Nas Alturas A Revolução Modernista da Arquitetura e do Mercado Imobiliário nos Anos 1950 e 1960"
Nos anos 1950, uma grande transformação ocorreu em São Paulo: arquitetos modernos passaram a ser mais e mais requisitados por uma renovada indústria imobiliária. Em pouco mais de 10 anos, foram criados os mais icônicos edifícios da cidade, graças à aliança de arquitetos talentosos, como Niemeyer, David Libeskind e Franz Heep, com empreendedores audazes, entre eles Artacho Jurado, Octavio Frias de Oliveira e José Tjurs. Copan, Itália e Nações Unidas, Conjunto Nacional, o centro comercial Grandes Galerias (hoje conhecido como "Galeria do Rock") e vários outros prédios de grande qualidade arquitetônica foram erguidos nessa época e moldaram para sempre a imagem da capital, espelhando sua pujança, seu dinamismo e sua modernidade. Em São Paulo nas alturas, Raul Juste Lores reconstitui esse importante período, apresentando a surpreendente trajetória de seus principais personagens, mulheres e homens que deram rumo novo à arquitetura, à construção e à vida urbana no Brasil. O livro traz também 98 fotos e um guia dos prédios em São Paulo.